Samsung Galaxy Note7

Samsung Note 7 – um topo de linha!

Uma das confusões mais comuns quando se fala de smartphones, é a ideia de que existe “O” melhor smartphone, isso é algo muito relativo, o aparelho deve se adequar ao usuário e não o usuário ao aparelho.

Mas não podemos negar que existem aparelhos que são ousados, que tem um quê a mais de personalidade, e chegam mesmo a desafiar o usuário: “me teste e tente me largar”. O Samsung Galaxy Note 7, é um destes aparelhos.

Samsung Galaxy Note7

Quando a linha Note chegou, em 2011, muita gente olhou com desconfiança para aquele aparelho enorme, que, em tempos de telas de 4 ou no máximo 4,7 polegadas, o N7000 trazia uma enorme tela de 5,2 polegadas, e um desempenho espetacular!

Talvez o que chame mais atenção no Note 7, por ser inusitado, são as stylus, pequenas canetas condutoras, que vem embutidas nos aparelhos, e dão mais precisão ao toque que a ponta do dedo, sendo ótimas não só para escrever mais rapidamente, como também para desenhar na tela com maior precisão, transformando o Note em um excelente ‘Moleskine’ virtual.

Samsung Galaxy Note7

Alem de ser usada como ‘ponta de dedo’, um botão em seu corpo permite ações adicionais.

Bem, cinco anos depois o Note chega a sua 7ª geração, e durante esta caminhada ele deixou de ser ‘apenas’ um smartphone grande, e vem sendo ano após ano, o aparelho Android mais esperado pelo mercado, é o que traz o que há de mais avançado em termos de processamento, por exemplo, esta versão tem uma CPU de 8 núcleos, com 4 rodando a 2,3Ghz e 4 rodando a 1,6Ghz com 4Gb de RAM, e ainda traz um processador gráfico capaz de garantir a belíssima resolução quadHD (1440×2560).

Samsung Galaxy Note7

Espaço de armazenagem? Bem, se os 64Gb de memória interna não foram suficientes, você pode adicionar um SD de até 256Gb, que pode ser muito útil para o caso de você fazer vídeos em resolução 4K (4000×2000), ou gravar vídeos em câmera lenta nítida, já que ele é capaz de fazer filmagens em HD (1280×720) a 240fps (1/4 da chamada ‘câmera super lenta’), e em fullHD em 60fps (tecnologia usada em filmes como O Hobbit).

Samsung Galaxy Note7

Acho que pelo que já foi dito aqui, fica claro que este é um smartphone ‘high end’ (de ponta), um aparelho para quem está disposto a pagar um pouco mais, para ter o que há de melhor no mercado.

E acredite, vale a pena!

O Note7 é compatível com o Gear 360 e VR.

O Note7 é compatível com o Gear 360 e VR.

Samsung Galaxy Note7

Moto G4 (2)

Moto G4, chegou a quarta geração da linha G, da Motorola!

Durante muito tempo, o ecossistema Android tinha um ‘vão’ muito chato, você só tinha aparelhos de ponta de linha e caros, ou aparelhos muito voltados para o público de entrada, que eram baratos, mas pecavam em suas especificações.

Moto G4 (1)

Quando o Moto G chegou ao mercado, no final de 2013, este espaço foi preenchido de maneira extremamente eficiente, com um aparelho que, custando apenas um pouco mais que os de entrada, mais básicos, entregava uma experiência de uso excelente.

Agora o aparelho chegou à sua quarta geração, em duas versões, o Play, que tem configurações bem próximas ao seu irmão de 3ª geração, mas 2mm mais fino, e com um slot SD com capacidade quatro vezes maior, suportando agora 128Gb de memória auxiliar (ele tem também 2Gb de RAM e memória interna de 16Gb).

Moto G4 (2)

Fora isso, ele permanece com a tela HD de 5”, e conta com uma câmera traseira de 8MP capaz de filmar em Full-HD (1920×1080), e uma câmera dianteira de 5Mp para seus selfies continuarem bacanas. O processador, de 64bits, consegue operar com baixo consumo de energia, mas mesmo mais fino, o G4 teve a capacidade de bateria aumentada em quase 15% indo para 2800mHa (e venhamos e convenhamos, em tempos de Pokémon Go, isso é MUITO importante 😉 ).

Mas a Motorola foi um pouco mais além e lançou também a versão G4 Plus, que está no topo superior dos intermediários, e não é injusto dizer que ele chega a concorrer com os aparelhos da categoria imediatamente superior. Este aparelho já vem com uma tela Full-HD, de 5,5 polegadas e um processador de oito núcleos, que seria capaz de bater, com folga a primeira versão, e brigaria bonito com a segunda versão da linha Moto X.

Moto G4 (1)

O Moto G4 Plus tem opções de 16, 32 e 64Gb de armazenamento interno, e também slot para cartões de até 128Gb. O corpo é um pouco maior que o do Moto G4 Play, até mesmo porque a tela é maior, mas ele consegue ser ligeiramente mais fino!

Enfim, a linha G da Motorola vem evoluindo ano a ano de forma constante, e como ela já começou em um patamar ‘só seu’, segue como uma das melhores opções de aparelhos intermediários do mercado!

Moto G4 (3)

O Motorola DynaTAC 8000X custava US$3.995 em 1984

Lenovo e o futuro da marca Motorola

Quando a Google Inc. comprou a Motorola Mobility 2012, o motivo real da compra não foi o de fabricar seus próprios smartphones, mas, principalmente, absorver as mais de 19 mil patentes da tradicional empresa, a primeira a lançar, nos agora longínquos anos 1980, o telefone celular, e poder armar-se para defender o ecossistema do sistema operacional Android na Guerra de Patentes, que estava quentíssima à época.

O Motorola DynaTAC 8000X custava US$3.995 em 1984, quando foi lançado

O Motorola DynaTAC 8000X custava US$3.995 em 1984, quando foi lançado

Mas já que havia comprado a empresa, porque não fazer algo bacana com ela, não é mesmo? Foi daí que surgiu o Moto X, um telefone que equilibrou novidades, como a ativação por voz, com a simplicidade de não ter mil camadas de programas inúteis agregados ao sistema operacional. Depois vieram dos Moto E e G, sucessos de venda no mercado de entrada.

Mesmo com o sucesso da linha ‘Moto’, não chegou a ser surpreendente, a venda da Motorola Mobility para a Lenovo. Se por um lado, além de ser de bom tom manter-se ‘agnóstica’ quanto a fabricantes de smartphones Android, o DNA da Google Inc. é serviço, não produtos físicos, do outro a Lenovo repetiu o movimento feito 2005 quando adquiriu a divisão de notebooks da IBM – em 2014 a Lenovo também comprou a divisão de servidores Intel da IBM (System X e BladeCenter).

Uma pergunta que sempre ficou no ar, foi “e agora, como fica a linha Moto”. Em agosto de 2015, a pergunta começou a ser respondida. Repetindo o movimento que a Disney fez com a compra da Pixar, quando trouxe a nova empresa para dentro de si para refundar sua divisão de animação, a Lenovo fez com que a equipe da Motorola Mobility assumisse, nas palavras desta última “um papel mais central no desenvolvimento de smartphones da Lenovo”.

No final de 2015, a Lenovo anunciou um novo smartphone, o Vibe, a agora no comecinho de 2016, informou que unirá tudo sob a marca Lenovo, mantendo duas linhas independentes de aparelhos, a supracitada Vibe, dedicada a aparelhos de entrada e meio, e a linha Moto, marca que terminou ganhando muito renome, e não deixa de ser um sinônimo de Motorola, com os aparelhos de ponta.

Lenovo Vibe A7010

Desde 2013 a Lenovo é a maior vendedora de PCs do mundo, hoje detém 19,8% do mercado, em outubro de 2015 apareceu pela primeira vez na lista das 100 marcas mais valiosas da Interbrand. Agora ela pode não apenas centrar seu poder de fogo em uma só marca, como será uma das poucas ‘verticalizadas’, que atinge de modo significativo todo o mercado de computação pessoal (PCs, tablets e smartphones).

Recentemente falamos aqui neste blog, sobre o Yoga, um belíssimo notebook da marca, e o Vibe, smartphone que citei acima, está já está disponível nas lojas da Ibyte.

Nexus-Nexus-5-google-ibyte

Google anuncia oficialmente Nexus 5

Ontem a Google oficializou o lançamento do Nexus 5. Aqui no blog você conferiu o que nós pegamos de informações vazada na internet, e hoje nós falaremos um pouco mais desse incrível aparelho que sucede o Nexus 4.

 

Nexus-5-Google-ibyte

 

Design

 

Ele está um pouco maior que o Nexus 4. A tela veio mesmo com 5 polegadas 441 PPU e resolução Full-HD. Porém está mais fino e leve. A traseira agora vem com o logo Nexus e uma lente bem maior para a câmera.

 

Especificações Técnicas

 

O aparelho feito pela LG vem com 2GB de RAM e tem um processador Snapdragon 800 com 2.3GHz, o que é algo impressionante para um smartphone, já que o processador é quad-core e tem um núcleo a mais para alimentar e processar coisas enquanto o aparelho descansa.

 

A Câmera

 

8MP a principal e a frontal 1,2MP, o que deixa alguns loucos por autoretratos um pouco triste. Porém ela tem novos recursos para aprimorar o desempenho, o que era bem chato no Nexus 4

 

Rede

 

O Nexus 5 vem com redes 4G LTE, HSPA+, GSM, CDMA, Wifi, Bluetooth 4.0, NFC e carregamento wirelss Qi.

 

Valores

 

Nos EUA, o modelo de 8GB sai por U$ 300, enquanto de 16GB custa U$ 350 e o de 32GB U$ 400. No Brasil ainda não sabemos os valores, mas ficaremos felizes se não demorar tanto quanto o Nexus 4.

 

O vídeo abaixo mostra como o novo smartphone da Google pode te surpreender:

 

como-configurar-roteador-wireless

Como configurar seu roteador wireless

Conquistar a independência de cabos e fios e ter a liberdade de utilizar seu notebook, netbook, tablet ou smartphone a partir de qualquer cômodo de sua casa é o que motiva muita gente a configurar uma rede wireless em casa.

Para ajudar a montar uma rede sem fio residencial, nosso blog preparou um pequeno tutorial que, com poucas modificações, pode ser utilizado para configurar qualquer roteador.

 

Para esse tutorial, usaremos como exemplo o roteador TP-Link TL-WR740N, que tem um preço acessível e uma qualidade de sinal e compartilhamento sem igual.

 tp-link-1

Passo 1. Conecte uma das extremidades do cabo RJ-45 que acompanha o roteador TP-Link TL-WR740N na porta WAN (em azul). A outra extremidade deve ser conectada na porta disponível em seu modem. Dica: se você tem um computador desktop (sem placa de rede sem fio), conecte o respectivo cabo RJ-45 em uma das portas de rede (cor amarela) do roteador;

Passo 2. Conecte o cabo de energia. Importante: antes de ligar o roteador, recomenda-se reinicializar o seu modem e, em seguida, ligar o roteador TP-Link TL-WR740N;

<imagem ilustrativa>

 tp-link-2

Passo 3. Procure na lista de pontos de acesso sem fio de seu notebook (ou dispositivo com rede sem fio) o seu novo roteador. Neste caso, o nome de rede do roteador é “TP-LINK_C29D24″. Conecte nesta rede. OBS.: Inicialmente, a configuração de fábrica do roteador TP-Link TL-WR740N não exige senha;

tp-link-3

 

Passo 4. Através do seu navegador, digite “tplinklogin.net” na barra de endereços e tecle Enter;

Passo 5. O navegador abre uma janela requerendo o nome e senha para acessar as configurações do roteador TP-Link. Por padrão de fábrica, “Nome” e “Senha” são preenchidos com a palavra “admin” (sem aspas). Clique em “Iniciar Sessão” para prosseguir;

 tp-link-4

Passo 6. Para colocar uma senha em seu roteador TP-Link TL-WR740N e evitar que estranhos acessem sua rede, clique no item “Wireless” e, em seguida,  “Segurança”;

 

Passo 7. Insira uma senha no campo indicado. Clique em “Salvar”. Uma mensagem indica que você deve reinicializar o seu roteador para que as novas configurações tenham efeito. Dica: Prefira o padrão WPA-PSK para configuração da senha por se tratar de um protocolo bastante seguro. Se desejar utilizar mais dispositivos para acessar a internet via rede sem fio, basta utilizar a mesma senha de segurança.

tp-link-5

Pronto, o seu novo roteador sem fio TP-Link TL-WR740N está corretamente instalado e configurado.

Com 7 simples passos você proclama sua independência dos cabos e fios e pode usufruir da sua internet em toda a sua casa.

Você pode conhecer e comprar o roteador sem fio TP-Link TL-WR740N no nosso site.