mr-robot

As melhores séries que têm tecnologia por tema (não são sci-fi)

The IT Crowd (2006-2013)

Este sitcom com toda acidez do típico humor inglês, mostra o departamento de TI de uma empresa inglesa e estampa em seus três participantes alguns dos principais estereótipos da área, como o geek amante de cultura pop e impaciente, o nerd que usa cada detalhe técnico existente em suas explicações, ambos com poucas habilidades sociais, e a gerente que não é da área e foi transferida por engano para chefiar o setor.

Por um acaso, encontrei o primeiro episódio, completo, no Vimeo, assista! A série não tem um grande arco, os episódios são independentes.

Silicon Valley (2014 – presente)

Com muito bom humor, a Silicon Valley (HBO) mostra como nascem e morrem as startups de tecnologia. Na série um grupo de desenvolvedores que mora na casa de um ‘encubador’ que havia conseguido algum dinheiro vendendo sua própria startup um tempo antes, e está em busca de um novo sucesso.

As personagens são bem caricatas e exageradas, mas a mecânica mostrada, os termos apresentados, as propostas feitas, e a forma como algumas coisas são criadas de forma fortuita estão relativamente próximas do que acontece. Vale pela curiosidade. A série conta uma grande história e ainda está no primeiro arco, então precisa ser assistida na ordem de lançamento.

Halt and Catch Fire (2014 – presente)

Se Silicon Valley mostra as startups dos dias de hoje, Halt and Catch Fire(HBO) nos leva para o começo dos anos 1980, e nos apresenta a evolução dos primeiros computadores pessoais na primeira temporada, e o nascimento das BBSs (redes online, ponta a ponta, que antecederam a internet), em sua segunda temporada.

O ponto alto da série são as personagens femininas, fortes, inteligentes e determinadas, o que termina por ser um tapa com luva de pelica na atual indústria de tecnologia que ainda luta pela igualdade de gênero. A série tem dois arcos, dá para ver a segunda temporada, sem ter visto a primeira, mas, vendo a primeira se entende melhor a dinâmica entre as personagens na segunda.

Person of Interest (2011-2016)

Um bilionário misterioso, um ex-soldado de forças especiais, uma policial competente, e uma ‘máquina’ dotada de inteligência artificial, que, garimpando a internet, consegue identificar comportamentos que indicam que alguém irá cometer, ou ser vítima de um crime. No Brasil é transmitida pelo Warner Channel (Cabo), e na tv aberta pelo SBT, com o nome ‘Pessoa de Interesse’.

Tudo que a ‘máquina’ faz é enviar ao seu construtor um número de Seguro Social (algo que nos EUA parece com nosso CPF), que pertence a uma pessoa que tanto pode estar no processo de cometer, como de ser vítima de alguma atividade criminal. Entre o início de cada processo uma investigação para saber se o indivíduo é um criminoso ou uma vítima em potencial, e o permeio com gangues, e policiais corruptos. A série conta com histórias autocontidas, uma por episódio, e tem seus arcos como pano de fundo. Em maio estreará no EUA sua última temporada.

Mr. Robot (2015-presente)

De longe, de muito longe, está e a melhor série para amantes da tecnologia. É uma série densa, com uma trama complexa, e um excelente elenco, Christian Slater entre eles. A série mostra a história de um ‘hacker justiceiro’, que, acostumado a trabalhar sozinho, se envolve com um grupo de hacktivistas, para atacar uma das maiores empresas do mundo a Evil Corp (Corporação Malvada – sério).

A série lembra um pouco os livros de William Gibson, e, agradará a quem gosta de boas tramas de suspense, e mais ainda quem tem conhecimento um pouco mais elevado de informática (é divertido ver alguém citando termos técnicos na TV). Foi um dos melhores lançamentos de 2015.

tv 4k

Você sabe o que é uma TV 4K?

A TV 4K apresenta algumas características diferenciadas. O principal efeito percebido é uma redução drástica no efeito de pixelização, os pontos formadores das imagens em TVs e monitores. Você quase não percebe o efeito e a imagem parece ser, em resumo, real. Vale lembrar que tal efeito é conseguido apenas quando a cadeia inteira de produção (da câmera ao sinal que chegará até a sua casa) for concebida para esse padrão.
Outro diferencial que a resolução das TVs 4K traz para as casas é que as distâncias mínimas para as telas podem ser alteradas. Nem tanto pelo conforto visual, mas em função da qualidade e nitidez. Ou seja: mesmo de muito perto você enxerga imagem em qualidade total.
Alguns modelos de televisores como uma TV Sony, uma TV LG, uma TV Philips ou uma TV Samsung já apresentam essa resolução, o que pode “puxar” um público e, com isso, a popularização da tecnologia da televisão 4K, que ainda é muito cara.
Com isso, a TV 4K muda também o tamanho das telas, uma vez que podemos incluir TVs cada vez maiores em espaços menores, sem que o conteúdo fique prejudicado. Esteja atento, novamente, a uma questão fundamental: ainda não é comum a exibição de conteúdo próprio para esse formato. Então, por enquanto, você deverá ficar limitado a mídias físicas, conteúdos demonstrativos do próprio aparelho e poucas transmissões de TV.
A TV 4K é mais um avanço da tecnologia, o que comprova que os televisores não param de inovar. Ter uma TV com essa dimensão em casa é sinônimo de alta qualidade e, claro, diversão garantida enquanto você assiste aos conteúdos.

 

Aproveite o nosso Festival de TV’s e veja todas as ofertas que temos, inclusive de TV’s 4K.

 

Fonte: Zoom
Android TV Philips

Smarts TV Phillips, agora com Android TV

Android TV Philips com Amberlight

Android TV Philips com Amberlight

A TV mudou. Muitos hoje já nem ligam mais para o guia de programação, são pessoas que querem ver seus programas na hora que desejam, e não na hora em que uma emissora qualquer, a Cabo ou aberta, deseja passar. O sucesso da Netflix está aí para provar isto.

Uma das melhores formas para fazer tal coisa é ter uma TV capaz de rodar aplicativos de conteúdo ‘sob demanda’. Como a Android TV tem algumas normas rígidas quanto à personalização do sistema, seu mantenedor (Google) não quer ver nesta mídia o mesmo tipo de modificação que deu má fama ao sistema operacional em suas primeiras versões para smartphones, algumas marcas têm insistido em operar com sistemas operacionais próprios, coisa que é ‘bonitinha’, mas a médio prazo, para o usuário, pode se provar irritante devido a muito mais que provável demora, ou até mesmo falta, de aplicativos para novos serviços.

Android TV Philips

Mas como usar um sistema operacional aberto, e consequentemente acesso à biblioteca de aplicativos da Play Store, e mesmo assim ter um diferencial que atraia a atenção do usuário para sua marca?

Bem, a Philips , que recentemente apresentou quatro Smart (Android) TVs 4K, com tamanhos variando entre 49 e 55 polegadas, agora no mês de julho, e está apostado na curadoria de conteúdo através do ‘Família Philips ’, que deverá não apenas indicar aplicativos, mas, principalmente conteúdo que pode ser encontrado dentro daqueles aplicativos.

Android TV Philips

Se por um lado a falta de aplicativos é algo irritante, o excesso leva o usuário ao ‘paradoxo da escolha’, uma situação em que há tantas opções disponíveis, tanto ‘ruído’, que fica difícil reconhecer o que é bom, bem como o indivíduo termina se perdendo na hora de escolher algo (bem parecido com quem vai no restaurante, faz seu pedido e fica desejando o do vizinho). Ao exercer curadoria, e apontar ao usuário o que e porque determinados itens possam interessa-lo, a Philips pode ter encontrado o caminho das pedras.

As novas smart TVs da Philips , duas da linha 6700 (49” e 55”) e duas da linha 7100 (49” e 55”), todas em resolução 4K/UltraHD (elas têm quatro vezes a resolução de uma Full HD), devem chegar ao mercado na segunda quinzena de Setembro, todas as TV tem o sistema Amberlight, que ilumina a parede em que a TV estiver presa, dando uma sensação maior de imersão, e as TVs da linha 7100 são 3D e vêm com 6 óculos acompanhando. Além disso os controles remotos possuem microfone para o uso de comando de voz, e no verso, um teclado físico, para facilitar buscas.

Controle remoto da Android TV Philips, com teclado no verso

Slingbox-01

Slingbox – Leve sua TV a Cabo para todo lugar!

Slingbox, sua TV em qualquer lugar

Certamente você já sabe que alguns celulares e tablets têm acesso à TV Digital (aberta), e muito provavelmente também sabe que com sintonizadores USB, é capaz de vê-las até mesmo no seu notebook…

Mas você sabia que pode ver TV a Cabo em seu notebook, tablet ou smartphone?

Pois é, pode sim, graças ao Slingbox.

O aparelho funciona com uma simplicidade incrível. Você o conecta ao sintonizador de sua TV por assinatura, faz as configurações devidas, e em seguida o conecta ao seu roteador de internet. Ele capturará imagem e vídeo do sintonizador, compactará e transmitirá pela internet, onde você poderá ver através de aplicativos para notebooks, tablets, smartphones ou players de mídia.

Slingbox, sua TV em qualquer lugar

Quer ver TV a Cabo em um local de sua casa que não tenha sintonizador, através da rede local, o Slingbox resolve. Quer acompanhar aquele jogão de futebol que só vai ser transmitido em canais por assinatura, mas justo quando você vai estar viajando, em outra cidade? Não tem problema, conecte-se à sua conta e seja feliz.

Mas como ele funciona? Você conecta-se ao aparelho através de um aplicativo, que fará com que o aparelho comece a capturar áudio e vídeo, compactar e transmitir para onde você estiver. A qualidade vai depender da velocidade de conexão à internet, por exemplo, para uma transmissão em HD (720p) são necessários 2mbps de conexão, o aparelho que temos, o Slingbox 350, é capaz de transmitir até em Full HD (1080p).

Estamos esperando sua visita!