Carregador (proprietário), e leitor de impressão digital, que fica na parte interior do telefone

De amortecedores a aparelho lavável, o que vem por aí nos smartphones

Final de ano cheio de novidades no mundo dos telefones celulares, algumas bem inusitadas, como o Kyocera Digno. É bem possível que você já tenha ouvido falar que existe uma quantidade considerável de germes em todo telefone celular, apesar da maioria das pessoas simplesmente ignorar e esquecerem este fato, quem em germofobia não consegue deixar isso para lá tão facilmente. Foi pensando neles que a empresa, que já vem lançando toughphones – telefones feitos para uso em ambiente hostil –, há algum tempo, criou um telefone com uma camada protetora que permite que ele seja lavado com água e sabão!

Aliás, os toughphones são excelentes para quem é um tanto quanto desastrado. Veja o exemplo do Turing, um telefone tão resistente que além de ser mergulhado em água, e funcionar com perfeição, resiste até mesmo ao choque contra paredes. Ok, ele sai arranhado, mas nem trinca a tela!

Mas o Turing vai além da resistência física, ele também tem várias modificações que visam aumentar a segurança. Por exemplo, eles não tem porta física de comunicação, o carregador tem um conector proprietário, que faz apenas isso, carregar. Nem mesmo o slot de 3,5mm para fone de ouvido ele tem. O motivo é simples, portas que permitam transferência de dados facilitam a invasão ‘física’ do telefone. Ahhh, ele usa autenticação de fator duplo, você precisa usar sua digital – o leitor fica na lateral do telefone –, e uma senha para conseguir logar. Ele funciona com Android, e deverá ser vendido a partir do final do primeiro trimestre de 2016.

Carregador (proprietário), e leitor de impressão digital, que fica na parte interior do telefone

Carregador (proprietário), e leitor de impressão digital, que fica na parte interior do Turing

Por falar em Android, Andy Rubin, um dos ‘pais’ do sistema operacional, deverá em breve lançar sua própria marca de smartphones. Bem, ideias não lhe faltam, em entrevista recente ele disse: “Tecnologia móveis não irão embora… Existe um momento no tempo – não serão nos próximos 10 ou 20 anos – em que algum tipo de Inteligência Artificial, na falta de um termo melhor, será a próxima plataforma computacional”. A conferir.

Claro, a Apple não pode ficar de fora quando o assunto são smartphones, afinal, a César, o que é de César, o iPhone redefiniu o mercado quando foi lançado. Bem, a turma de Cupertino apareceu com uma ideia meio estrambólica para resolver o problema de resistência de aparelhos. Não, neste caso, não é o emprego de materiais mais resistentes, a ideia seria a de instalar ‘amortecedores’ que seriam acionados quando fosse detectada pelo aparelho, a aceleração de uma queda. Veja a ilustração da patente abaixo!

Na patente, é dito que o sensor de aceleração do aparelho avaliaria o tempo e velocidade da queda, acionando os amortecedores, caso o limite (tempo ou velocidade) sejam excedidos. Imagem: Cult of Mac

Na patente, é dito que o sensor de aceleração do aparelho avaliaria o tempo e velocidade da queda, acionando os amortecedores, caso o limite (tempo ou velocidade) sejam excedidos. Imagem: Cult of Mac

Na Ibyte, no final de janeiro deverá chegar o novo LeNovo Vibe. Para quem não sabe, a LeNovo é a atual dona da Motorola, e responsável pelas excelentes linhas Moto E, G e X.