iby-10066-2017-conversor-x-tv-003

Conversor Digital x TV Nova

O sinal analógico vai parar de ser transmitido e a sua TV não é compatível com o sinal digital? Você tem duas opções: comprar um Conversor Digital ou investir em uma nova TV.

O Conversor Digital, como já falamos em outro post aqui no blog, faz exatamente o que o nome diz: converte o sinal analógico em sinal digital. Ele custa em média de R$100,00 a R$200,00 e funciona em qualquer TV. A vantagem desse aparelho é que, se você não quiser ou não puder comprar um novo televisor, não vai precisar. O próprio set-top box resolve a situação e você vai ter uma ótima imagem em uma TV antiga.

Investir em uma nova TV é saber que o valor a pagar vai ser um pouco mais alto, mas você não vai ter o trabalho de instalar o conversor e poderá ter em casa uma TV com mais qualidade de imagem e som e também com uma tela maior. Outra vantagem, é que alguns modelos de TVs mais atuais já vêm com aplicativos para acesso à internet e serviços de streaming.  Além disso, comprando um novo aparelho agora, você vai demorar a comprar outro. Então, se tiver com um dinheirinho extra, essa opção vale muito à pena.

Para receber o sinal digital, basta ter uma TV digital ou instalar uma antena UHF e conectá-la no conversor. Não é preciso pagar para receber o sinal da TV aberta digital.

Mas agora é com você, qual será sua escolha? Comprar uma nova TV ou um Conversor Digital? Independente da sua opção, você pode encontrar as melhores TVs e conversores em nossas lojas ou site! Visite e confira!

Fique por dentro do mundo da Tecnologia e descubra ótimas dicas como essa aqui no Blog Descomplick e nas redes sociais da Loja Ibyte!

iby-9805-2017-tv-digital-thumbnail

A TV digital no Brasil

A TV Digital começou a ser implantada no Brasil há alguns anos. Mas você sabe o que é essa TV Digital? Não? Então vamos explicar tudo para você ficar por dentro dessa mudança! Vem com a gente e confira aqui no Blog Descomplick!

 

A TV digital no Brasil tem como base o padrão japonês, mas com alguns ajustes e modificações que se adaptam à realidade de nosso país. Essas mudanças aconteceram principalmente com o desenvolvimento do Ginga, um midlleware nacional criado pela PUC-Rio e pela UFPB, que permite a interatividade entre audiência e emissor, proporcionando uma comunicação bidirecional.

 

O Sistema Brasileiro de Televisão Digital Terrestre (SBTVD-T) proporciona aos telespectadores maior qualidade de som e imagem, interatividade e acesso por dispositivos mobile, como smartphones e tablets. Esse mesmo sistema atualmente é adotado em 15 países da América Latina e Central e também na África.

iby-9805-2017-tv-digital-peca-para-ilustrar

 

A TV Digital também traz a possibilidade de ocupar melhor o espectro eletromagnético e abrir mais espaço para canais de TV Aberta, ou seja, trazer mais opções de informações e entretenimento para você!

 

Sabe o que é melhor? Você não tem que pagar para receber o sinal da TV aberta digital. O SBTVD-T é gratuito, mas você precisa ter um equipamento adequado para a recepção do sinal digital, como um conversor ou TV Digital. Cabe a você fazer a escolha entre eles.

 

Quer saber mais sobre a mudança do sinal analógico para o digital? Então continue acompanhando o Blog Descomplick e saiba tudo sobre a TV Digital no Brasil!

Fonte: EBC (http://www.ebc.com.br/migracaodigital)

Este mega-monitor no aeroporto de Seul, é composto por 140 televisores OLED de 55".

LG e a as TV OLED

Para entender o salto para o futuro que são as TVs OLED, é preciso primeiro entender um pouco sobre o funcionamento das TVs LCD, LED e OLED, não vou falar aqui das TVs de plasma, uma tecnologia mais antiga, e hoje pouco popular.

Na realidade tanto as TVs LCD e TVs LED são bem parecidas. Elas são formadas por um ‘sanduíche’ de telas, em que a saída final é um painel de LCD que filtra a luz que passa através dele, e formar a imagem. No caso das TVs chamadas simplesmente LCD, a luz é oriunda de um painel de CFL (tecnologia de lâmpadas fluorescentes) que fica na parte traseira da TV, no caso das TVs LED, o painel é composto pelos LEDs, diodos emissores de luz.

Em cima, as camadas que compõem um TV LCD normal, com painel CFL ou LEDs, embaixo, um TV OLED

Em cima, as camadas que compõem um TV LCD normal, com painel CFL ou LEDs, embaixo, um TV OLED

Então é a mesma coisa? Não, não é. Nas TVs de LCD ‘normais’, o painel acende todo por igual, cabendo ao filtro de LCD bloquear a passagem de luz onde, por isso, este tipo de tecnologia raramente consegue pretos absolutos, ficando quase sempre com uma aparência de cinza. Já as TVs mais modernas que usam os painéis de LED, permitem o controle da iluminação por área, podendo até diminuir a intensidade do brilho dos LEDs em determinada região, que conjugado com o painel LCD, exibem pretos mais ‘profundos’.

TV LED

Ou seja, as TVs de LED têm sobre as TVs LCD ‘normais’ a vantagem de imagens mais definidas, e menor consumo de energia, já que os LED são bem mais energeticamente eficientes que os painéis de CFL.

Mas no OLED a coisa muda radicalmente. No OLED, não temos mais o painel de LCD, cada pixel tem a capacidade de modular sua intensidade de brilho, usando 3 ou 4 cores.

Mas uma cor faz tanta diferença?

Os OLEDs de quatro cores têm acrescentada a cor branca, para intensificar o brilho da imagem.

Os OLEDs de quatro cores têm acrescentada a cor branca, para intensificar o brilho da imagem.

Sim faz, as três primeiras cores são básicas vermelho, verde e azul (RGB), a quarta cor é o branco, que ao ser adicionado, permite que o TV module melhor o brilho de cada pixel, gerando assim imagens mais ‘vivas’, e é justamente esta a tecnologia que a LG, que está investindo US$8,7 bilhões, em uma fábrica de telas OLED utiliza.

Qual a vantagem da OLED sobre a LED? Bem, como tem uma camada a menos (ela não tem o LCD), a OLED consome menos energia. Além disso, ela permite um ângulo de visão maior, e pretos ainda mais profundos que as TVs que usam LED. Ahhh, elas também são mais finas, mais leves, e podem ter telas maiores 😉

Este mega-monitor no aeroporto de Seul, é composto por 140 televisores OLED de 55".

Este mega-monitor no aeroporto de Seul, é composto por 140 televisores OLED de 55″.

tv 4k

Você sabe o que é uma TV 4K?

A TV 4K apresenta algumas características diferenciadas. O principal efeito percebido é uma redução drástica no efeito de pixelização, os pontos formadores das imagens em TVs e monitores. Você quase não percebe o efeito e a imagem parece ser, em resumo, real. Vale lembrar que tal efeito é conseguido apenas quando a cadeia inteira de produção (da câmera ao sinal que chegará até a sua casa) for concebida para esse padrão.
Outro diferencial que a resolução das TVs 4K traz para as casas é que as distâncias mínimas para as telas podem ser alteradas. Nem tanto pelo conforto visual, mas em função da qualidade e nitidez. Ou seja: mesmo de muito perto você enxerga imagem em qualidade total.
Alguns modelos de televisores como uma TV Sony, uma TV LG, uma TV Philips ou uma TV Samsung já apresentam essa resolução, o que pode “puxar” um público e, com isso, a popularização da tecnologia da televisão 4K, que ainda é muito cara.
Com isso, a TV 4K muda também o tamanho das telas, uma vez que podemos incluir TVs cada vez maiores em espaços menores, sem que o conteúdo fique prejudicado. Esteja atento, novamente, a uma questão fundamental: ainda não é comum a exibição de conteúdo próprio para esse formato. Então, por enquanto, você deverá ficar limitado a mídias físicas, conteúdos demonstrativos do próprio aparelho e poucas transmissões de TV.
A TV 4K é mais um avanço da tecnologia, o que comprova que os televisores não param de inovar. Ter uma TV com essa dimensão em casa é sinônimo de alta qualidade e, claro, diversão garantida enquanto você assiste aos conteúdos.

 

Aproveite o nosso Festival de TV’s e veja todas as ofertas que temos, inclusive de TV’s 4K.

 

Fonte: Zoom