Entendendo uma Placa de Vídeo

 

Antigamente as placas de vídeo era procuradas apenas por Gamers – usuários de computador que montam as suas máquinas para jogar, sempre procurando novas opções para realizar um Upgrade-, mas com o passar do tempo vários profissionais se viram na situação de ter que adquirir uma delas para realizar seus trabalhos com rapidez e qualidade. Se você é arquiteto(a), engenheiro(a), desenhista, editor(a) de vídeo entre outros(posso citar até médicos que já se viram precisando de uma placa aceleradora), pode seguir adiante nesse texto pois precisa estar por dentro do que realmente é importante na hora de escolher seu modelo de placa. Primeiramente, temos que entender a diferença entre os termos Onboard e Offboard.

 

Onboard

Quando usamos o termo Onboard significa que estamos falando de uma placa de vídeo que é fixa(soldada) na placa mãe do computador ou mesmo do notebook. As placas onboard existem em todos os computadores do mundo, desde o netbook mais simples até o computador de ponta (embora muitos fabricantes entendam que a partir de uma certa configuração o usuário vai automaticamente optar por um modelo offboard e nem se dão ao trabalho de incluir um modelo onboard na placa mãe).

 

Os modelos onboard são em muitos casos versões reduzidas de modelos offboard, mas não significa que eles fazem o mesmo trabalho com a mesma qualidade do modelo original, pelo contrário, um modelo onboard não tem a mesma quantidade de Processadores de Fluxo (Stream Processors), não tem a mesma quantidade de Memória Ram e não usam a mesma quantidade de energia. Um desktop poder ter tanto um modelo onboard como um modelo offboard (apenas o offboard será usado), mas um netbook ou notebook quase sempre terá apenas a onboard, salvo modelos mais recentes de notebook como o Sony Vaio Vaio Cw Fx 21 Intel I3 que vem com uma placa de vídeo GeForce® 310M dedicada e alguns modelos vem ainda com a opção de mudar a placa de vídeo da onboard para a dedicada com um simples click de botão.
 

 

 

Offboard

As placas offboard sim, são voltadas para trabalhos visuais mais pesados, e é nesses modelos que será focado o nosso artigo.
 

Bus da Memória(Bits)

Esse é o ponto mais importante no momento da escolha embora muitos pensem que a Memória Ram ocupa essa posição. Como é mais fácil explicar a memória, ela ficou mais conhecida. Até mesmo quando um cliente procura um computador ele vem com esse mesmo preconceito formado. Mais conhecido como Bits, essa característica é tabelada da seguinte forma:
 

64 Bits:Básica (Ex:GeForce 8400GS, Radeon HD 4350, modelos onboard)
128 Bits:Média (Ex:GeForce 9500GT, Radeon HD 4650)
256 Bits:Potente (Ex:GeForce 9800, Radeon HD 4830)
448 Bits:Top de linha (Ex:GeForce GTX260)
 

A função dos Bits seria como os cavalos de um motor, indicando a força da placa, o "esforço" que ela suporta realizar em termos visuais. Quanto maior a quantidade de bits maior a imagem (resolução), mais fortes as cores e a velocidade da imagem também fica maior. Você não nota aquelas "travadas" ao assistir um vídeo em qualidade Blue Ray em uma GeForce 9800(256 Bits), mas ao assistir o mesmo vídeo em uma Radeon 4350(64 Bits) você notaria uma lentidão na reprodução do vídeo.
 

Os bits também indicam a profundidade da imagem que você consegue acessar, então no momento em que você usar o zoom em uma foto que tirou com a sua câmera de 15 Megapixels, só conseguirá enxergar o rosto de quem ficou lá atrás, bem distante, se estiver usando uma placa com potência relativamente alta (128 bits ou mais). Se você trabalha com edição de imagens (sejam fotos ou vídeos) vale a pena investir em uma placa mais potente, pois na hora que você finalizar a sua edição e for renderizar seu trabalho, o tempo que esse processo exige também cai bastante com o aumento dos bits da placa.

GPU – Graphics Processing Unit (Ou Unidade de Processamento Gráfico)
Esse é nome dado ao processador da placa de vídeo. É ele que realiza as renderizações de imagens, ele quem processa o filme em alta definição, ele quem faz seu jogo de última geração rodar. O cérebro da placa de vídeo, assim como o processador do seu computador, tem uma velocidade de processamento (medida em Mhz – Megahertz).
 

 

Memória (Memória Ram)
A memória de uma placa de vídeo tem exatamente a mesma função que a memória Ram do seu computador. Ela permite a "abertura" dos arquivos e é um dos fatores que indicam a velocidade que esse arquivo é acessado. Como toda característica da placa de vídeo, essa memória é usada apenas para processos voltados para imagem.
 

Existem "fontes" diferentes dessa memória. A maioria esmagadora das placas onboard "roubam" a memória Ram do computador para a função de vídeo, cada uma usando uma quantidade diferente de acordo com cada modelo. Essa memória que é "roubada" do computador fica "presa" apenas para abertura e execução de imagens, ela não pode ser usada para mais nada. Assim, se você tem 2GB de ram e sua placa onboard usa 512Mb de memória, lhe sobram 1GB e meio de ram para qualquer outra função do computador.
 

Com o passar do tempo as placas evoluíram e passaram a ter memória própria, separada da memória do computador. Isso gerou um aumento na velocidade dos vídeos e permitiu o uso de mais capacidade do computador como um todo. Para baratear o custo de alguns modelos de placas, existe o chamado Turbo Cash, essa característica de uma placa permite que ela some a memória própria dela com mais um pouco de memória que ela "rouba" do computador(Ex: um modelo pode ter 512Mb de memória nativa na placa de vídeo e "puxar" mais 512Mb da memória ram do computador para chegar à 1GB de memória de vídeo).
 

A memória da placa de vídeo também é medida pelo barramento e pela freqüência, da mesma forma que a memória ram do PC. Porém é bem mais comum ver memórias de barramento DDR3 ou mesmo DDR5 numa placa de vídeo do que no seu PC.


Stream Processors (Processadores de Fluxo)
Chegamos em um ponto bem interessante dessas placas. Antigamente uma placa de vídeo era formada por diversos chips, cada um com a função de processar uma parte da imagem (um processava apenas as partes em preto e branco, outro a parte em cores etc.) e isso gerava uma demora no processo final, sem contar que exigia mais energia pela quantidade maior de pelas da placa. Os processadores de fluxo são a evolução desse processo que era realizado em diversos pontos diferentes da placa, eles agem em conjunto para aumentar a velocidade de renderização da imagem, quadro a quadro. Quanto maior a quantidade de Processadores de Fluxo na placa, melhor. No mercado varia muito a quantidade, vemos modelos com 64, 128, 256 e diversos outras quantidades, variando de fabricante para fabricante.
 

 

Existem outros pontos que podem ser discutidos sobre uma placa de vídeo, mas que fogem ao foco deste artigo, que seria o de ajudar o consumidor que não quer se aprofundar no assunto e sim comprar com consciência:

– Modelo do DirectX que ela permite usar;
– Modelo do OpenGL que ela permite usar;
– Modelo do Pixel Shader com o qual ela trabalha;
– Quantidade de Píxels por Clock;
– Modelo do cooler ou exaustor da placa;
– Fonte mínima para usar a placa. Esse ponto é importantíssimo, mas não exige uma grande explicação. Na caixa da placa vem a informação da potência mínima da fonte de alimentação que seu computador precisa ter para usar a placa sem risco de queimar algum dos componentes do computador. Você pode usar fontes com potência superior a exigida, mas evite a TODO custo usar fontes de menor potência do que a que é exigida para uso da placa de vídeo que você quer adquirir.

 

Se você notar, a placa de vídeo é um computador dentro de outro, mas desenvolvido apenas para lidar com imagens. Ela tem um processador, memória Ram, tem seu próprio cooler e as potentes exigem uma grande quantidade de energia.

 

Caso sintam a necessidade de tirar mail alguma dúvida, basta enviar um email para dmohn@ibyte.com.br, com o campo  assunto especificado da seguinte forma: Dúvida Artigo Blog Descomplick

 

  Danilo Orlando
Consultor de Vendas

Leave a Comment