blogpost sobre tendências do mercado de provedores de internet

Provedores de internet: o que as grandes empresas estão fazendo?

A internet é a maior rede de comunicação entre pessoas no mundo, seja para falar com a família e amigos, baixar arquivos, trabalhar, entre outros. Ela surgiu em 1960 e passou por diversas evoluções, principalmente nas demandas de velocidade de conexão, até se tornar o que conhecemos hoje em dia.

Com base nessa evolução surgiram vários tipos de internet, como a de fibra óptica, rádio, cabo, entre outros. Só no Brasil a quantidade de pessoas que estão conectadas a internet soma aproximadamente 134 milhões de usuários, ou seja, três a cada quatro brasileiros acessam a internet, fazendo com que o mercado de banda larga cresça em ritmo acelerado.

Só no primeiro semestre de 2020 foram registrados pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) 837,9 mil novos contratos de Internet fixa em todo o país, levando a base nacional do serviço ao final de junho para 33,752 milhões. A quantidade de acessos representa uma alta de 4,2% em um ano e de 2,5% no acumulado de 2020.

As grandes empresas do segmento estão cada vez mais investindo em tecnologias e novas tendências para estar sempre a frente e oferecer um serviço de qualidade aos seus clientes.

O que são os provedores de internet?

O provedor é a empresa que vende os planos de internet, tendo como responsabilidades disponibilizar, fazer a manutenção, fornecer estabilidade de rede, além de providenciar toda a documentação que legalize a sua atuação.

Nos anos 90, quando a internet chegou no Brasil ela era discada e precisava de um provedor, que era obrigatório, para fazer a ligação entre a casa do usuário com o local onde estavam os provedores de acesso à rede, por conta disso a conexão era instável e rendia contas de telefone altíssimas no final do mês.

As conexões funcionavam da seguinte forma: as empresas provedoras, como IG, Terra e UOL, contratavam o sinal e faziam a distribuição para os usuários. Geralmente essas empresas tinham alguma ligação com o setor de telecomunicações ou companhias telefônicas e forneciam o serviço ao cliente por meio de um plano firmado, ou seja, para que o cliente pudesse navegar na internet era necessário pagar por um valor adicional.

No início dos anos 2000, com a chegada da banda larga, a própria operadora passou a oferecer o autenticador de conexão incluso em seu serviço e por esse motivo a conexão discada passou a perder espaço.

Agora os provedores além de oferecerem conexão à internet também contam com outras funcionalidades e ferramentas básicas como servidor de e-mails, hospedagem em site, armazenamento na nuvem, portais de notícia e mecanismos de busca.

Para que um site seja acessado na internet os arquivos são copiados para o provedor, que fica na empresa contratada por você para fornecer a hospedagem. Os arquivos são criados em um computador local ou em serviços na nuvem e depois são enviados para o servidor para serem disponibilizados na rede.

Panorama do mercado de provedores de internet

O mercado de provedores de internet é um dos mais promissores pois está em plena expansão e a conexão em alta velocidade é uma das principais perspectivas no ramo. Mas mesmo com a tecnologia presente em todos os cantos do país, somente um pouco mais da metade da população tem acesso a internet, nas regiões norte e nordeste o acesso é ainda mais limitado.

Mesmo com algumas limitações, os provedores estão substituindo redes sem fio por tecnologia de fibra óptica com o objetivo de oferecer uma conexão extremamente rápida em todas as regiões do país e por conta disso o mercado deve investir cada vez mais em infraestrutura e tecnologia para melhorar a qualidade das conexões.

Uma das grandes mudanças em 2020 tem sido o crescimento na procura por provedores de internet regionais, empresas de pequeno e médio porte que oferecem o mesmo serviço que operadoras maiores por um valor mais baixo ou com disponibilidade de em áreas afastadas da região central.

Dados da Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações mostram que os provedores regionais representam 73% do total de novos acessos à banda larga no País, além de saltarem de 2,45 milhões para 9,88 milhões de conexões, entre 2009 e 2019. Só entre fevereiro e março de 2020, as buscas na internet por provedores regionais cresceram 42,8%, de acordo com levantamento feito pelo site Melhor Plano.

A pesquisa mostra que a Claro teve perda de 0,3% do Market Share do serviço no primeiro semestre, mas mesmo assim teve aumento de 78.502 mil assinantes. Já a Vivo teve perda de 0,6% de participação do mercado e perda de 86.202 mil assinantes. Enquanto que a Oi reduziu 0,5% e perdeu de 87,540 mil contratos.

Ranking de grupos de provedores

  1. Provedores: 10.2 milhões de acessos (30,9% de média de participação do mercado)
  2. Claro S.A.: 9.680.615 de acessos (29,3%)
  3. Telefônica Brasil (Vivo): 6.857.135 de acessos (20,8%)
  4. Oi: 5.048.377 de acessos (15,3%)
  5. Algar: 622.755 de acessos (1,9%)
  6. Tim S.A.: 601.938 de acessos (1,8%)
  7. Brisanet: 403.852 de acessos (1%)
  8. COPEL: 264.629 de acessos (abaixo de 1%)

O que as grandes empresas do segmento estão fazendo?

Para não ficar para trás e perder espaço para os provedores regionais, as grandes empresas estão investindo em novos serviços e tecnologia para oferecer uma nova e melhor experiência aos seus clientes e assim fidelizá-los.

Claro Internet

A Claro oferece pacotes de combo com telefonia móvel, telefonia fixa, internet banda larga e Tv por assinatura. Outros serviços que a operadora também oferece são o Claro Vídeo em que o cliente tem acesso a mais de 15mil vídeos, séries e desenhos para assistir quando e onde quiser; Claro música com milhões de músicas para baixar e escutar sem gastar a franquia de internet e o Claro Drive, um espaço de armazenamento na nuvem.

Vivo Banda Larga

A Vivo, assim como a Claro, também oferece pacotes de combos que incluem telefonia móvel e fixa, internet banda larga ou fibra óptica e canais de Tv por assinatura.

Oi Internet

A Oi também concorre diretamente com a Claro e a Vivo, oferecendo os mesmos serviços, internet banda larga ou fibra, telefonia móvel e fixa e canais de Tv.

O que é preciso para seguir as tendências de mercado?

Em 2020 o home office e a educação a distância (EAD) ganharam cada vez mais força, por conta do distanciamento social causado pelo COVID-19, além disso o entretenimento virtual, por meio de jogos online e serviços de streaming também cresceram e todas essas atividades demandam conexões de alta qualidade e justamente por esse motivo a procura por internet de alta velocidade cresceu bastante.

Para seguir as tendências de mercado as empresas de pequeno e médio porte devem estar atentas às demandas e mudanças. Veja 7 tendências de mercado:

      1. Internet das Coisas

        A Internet das Coisas, também conhecida como IoT (Internet of Things), já está no mercado há algum tempo, mas vem evoluindo e ganhou mais notoriedade nos últimos anos.

        O objetivo da “Internet das Coisas” é bem simples, conectar à internet itens usados em nosso dia-a-dia, como geladeiras ou carros, a dispositivos com ou sem fio, como tablets e smartphones.

        A tendência é que essa tecnologia aumente cada vez até o final desta década, por conta das conexões máquina para máquina (M2M) e com o crescimento na quantidade de equipamentos compatíveis com ela.

      2. Streaming de áudio e vídeo

        Nos últimos anos, serviços como Spotify e Netflix caíram no gosto do público, fomentando o mercado de maneira lucrativa e muito rentável. Por conta disso, diversas empresas também lançaram os seus próprios serviços de streaming, caso da Amazon, marca bastante conhecida no meio dos e-commerces e que agora conta também com a Amazon Prime Video.

        Se atentando a isso, alguns serviços tradicionais de TV por assinatura também já começaram a migrar para o streaming, como a Globosat, que agora também oferece seus canais a cabo, como GNT e Multishow, no Globoplay, serviço de streaming do grupo Globo.

      3. Casas Conectadas

        Com o crescimento da Internet das Coisas, cada vez mais o mercado de casas conectadas vem ganhando o seu espaço devido a ligação entre sistemas, como no caso do reconhecimento facial e comando de voz.

        As casas inteligentes trazem vários benefícios aos seus moradores, como segurança, por meio do controle de acesso ao local; economia de energia, aliado ao uso de painéis solares e lâmpadas inteligentes; Outra vantagem é a interação entre os dispositivos, como geladeiras, que podem ser acessados por smartphones, carros e computadores que tenham conexão com a internet.

      4. Aumento de transações e tráfego online

        Estima-se que em 2020 o tráfego mundial da Internet teve um volume 95 vezes maior que em 2005. Já no âmbito global, esse número sobe ainda mais, devendo alcançar aproximadamente 21GB até a próxima década.

        Por conta disso é natural que as transações online subam também.

      5. Migração de outras tecnologias de internet para fibra óptica

        O uso de rede de fibra óptica está crescendo cada vez mais, já que permite o fornecimento de conexões de alta velocidade com muito mais estabilidade que as outras tecnologias, como por cabo de cobre, rádio e satélite.

        O consumidor já reconhece a fibra óptica como a melhor tecnologia para internet e por isso a tendência é que cada vez mais pessoas passem a aderir a este tipo de conexão.

      6. Evolução da conexão 5G

        O 5G está recebendo investimentos internacionais no Brasil e, com isso, espera-se uma rápida expansão da cobertura. O 5G é uma grande aposta já que a tendência é cada vez mais coisas estejam conectadas a internet e para isso é necessário uma conexão rápida e estável, sendo ele fundamental para a Internet das Coisas.

      7. Crescimento no uso de sistemas automatizados e inteligência artificial

        Quanto mais a rede de um provedor de internet cresce, maiores são as dificuldades para realizar a gestão. O uso de sistemas automatizados e inteligência artificial são uma excelente maneira de facilitar sua gestão e atendimento ao cliente.

        Um bom software especializado em provedores de internet pode te ajudar desde a monitorar a rede de fibra óptica e organizar informações até a gerenciar o funil de vendas e o relacionamento com o cliente

Como se planejar para investir em inovação?

Com o crescimento no mercado de provedores a concorrência aumenta e por isso é importante se destacar, de acordo com a Anatel, o país conta com mais de 7,4 mil operadoras de outorga. Sendo necessário que as empresas invistam em inovação, organização das finanças e profissionalização em sua gestão.

Os provedores precisam de investimentos para que o seu lucro seja cada vez maior, assim como o planejamento financeiro e estratégico de investimento e também melhoria na experiência dos usuários.

Com base na evolução e aumento de oferta de internet as empresas estão investindo em tecnologias e novas tendências para se destacar no mercado, principalmente as de pequeno e médio porte.

Gostou das tendências de mercado? Conte pra gente nos comentários o que você achou! Para mais conteúdos sobre tecnologia, inovação, pc, smartphone, games e muito mais, continue acompanhando o nosso blog. Até a próxima!

Tags: No tags

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *